Entidade declara guerra a FIFA e promete medidas drásticas

Não é só o calendário brasileiro que está sendo muito criticado. Pelo contrário, mas o mundo todo está insatisfeito com a quantidade de partidas em sequência. O assunto foi levado à Fifa, que ainda não deu uma resposta definitiva.

Pelo contrário, a entidade optou por criar o Super Mundial de Clubes, que contará com 32 equipes e será no mesmo formato da Copa do Mundo, ou seja, será disputado de quatro em quatro anos. A competição acontece entre os dias 15 de junho a 13 de julho de 2025, justamente no final da temporada europeia e na metade da brasileira.

A grande questão é o enorme número de partidas que desgastam ainda mais os jogadores. Entretanto, o lucro previsto para a Fifa é alto. Os direitos de transmissão estão sendo negociados até o momento.

Porém, a situação não parece que vai ficar impune. O sindicato dos atletas se reuniu junto à imprensa para falar sobre as complicações do alto número de partidas, como a parte física e mental.

Dito isso, a Federação Internacional dos Jogadores Profissionais de Futebol (FIFPro) está analisando uma ação judicial contra a Fifa. A informação foi divulgada primeiramente pelo portal Relevo.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Fifa pode responder na Justiça

A FIFpro visa entrar com um processo contra a Fifa, visando suspender ou até cancelar o novo Mundial de Clubes. Isso porque a organização tem poderes para entrar com ações  judiciais e administrativas na União Europeia e em outras nações. Os jogadores alegam que o “vilão” da história é Gianni Infantino, atual presidente da Fifa. A FIFpro vai de acordo e também alega que o calendário está “sobrecarregando” os atletas.