Em poucas horas, Corinthians perde patrocinador de R$ 370 milhões e Carlos Miguel arruma as malas

Nesta sexta-feira (7), a VaideBet anunciou a  rescisão de contrato com o Corinthians. A casa de apostas tinha assinado um acordo que se tornou o maior patrocínio máster da história do futebol brasileiro. O vínculo era válido até o final de 2026 e previa o pagamento de R$ 370 milhões.

A empresa ativou a cláusula anticorrupção após o escândalo investigado pela Polícia Civil, na qual uma empresa “laranja” teria recebido um valor de comissão do acordo com o clube. A informação foi divulgada pelo jornalista Juca Kfouri, que disse que a Rede Social Media Design, que fez a intermediação do acordo, repassou um montante de comissão a uma companhia “fantasma” chamada Neoway Soluções Integradas em Serviços Ltda. A empresa está no nome de Edna Oliveira dos Santos, que não sabia da existência da mesma.

O clube irá conversar com a casa de apostas para resolver a questão da multa de 10% da quebra do contrato. O valor estimado é de R$ 30 milhões. Contudo, o Globo Esporte informou que a empresa pode se recusar a fazer o pagamento, justificando que o rompimento é por justa causa. 

“A marca avalia que não se pode manter a parceria enquanto pairar sobre o acordo qualquer suspeita em relação a condutas que fujam à conformidade com a ética e os preceitos legais. Só a dúvida, no crivo ético da marca, já é suficiente para determinar a rescisão – que foi exercida pela VaideBet suscitando cláusulas do contrato que protegem direitos da marca nessa decisão”, divulgou a empresa em trecho da nota divulgada.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Carlos Miguel deve deixar o clube

Como se não bastasse a perda do patrocínio, o Corinthians pode dar adeus a Carlos Miguel, que se tornou o goleiro titular após a saída de Cássio ao Cruzeiro. Apesar disso, ele trabalhou normalmente nesta sexta no CT Joaquim Grava.

De acordo com o Globo Esporte, o goleiro está em negociações com dois clubes da Inglaterra:o Nottingham Forest e o West Ham. Ambos estão dispostos a pagar a multa rescisória de 4 milhões de euros (R$ 23 milhões) para a rescisão do contrato.