Dorival Júnior se apresenta na CBF e dá inicio a projeto Seleção Brasileira

Nesta sexta-feira (19), o técnico Dorival Júnior dá início a, provavelmente, o trabalho mais importante de sua vida. O treinador é esperado na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para iniciar a nova rotina. De acordo com informações divulgadas pelo portal Globo Esporte, ele deve ser uma presença frequente na entidade.

Sua primeira convocação será no dia 1° de março visando dois amistosos contra seleções internacionais. O primeiro está marcado para o dia 23 do mesmo mês, contra a Inglaterra, em Wembley, em Londres. O segundo, três dias depois (26), será contra a Espanha, no Santiago Bernabéu, em Madri.

Dorival concedeu sua primeira entrevista como treinador do Brasil na última semana, e desde então, ele e seus auxiliares Lucas Silvestre e Pedro Sotero, além do preparador Celso Rezende, já estão observando alguns jogadores. Além desses, ele contará com a ajuda dos analistas Bruno Baquete e Thomaz Araújo, o fisiologista Guilherme Passos e a médica Andreia Picanço.

Apesar da observação inicial, o “trabalho duro” de fato será feito no segundo andar do prédio da CBF. A comissão técnica terá acesso a um banco de dados de atletas, com diversas informações e estatísticas sobre os mesmos, como minutagem, gols, assistências, lesões, etc. 

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Vale lembrar que a sala do treinador (efetivo) estava vaga desde o anúncio da saída de Tite, após a Copa do Mundo de 2022. Ramon Menezes e Fernando Diniz chegaram a ser técnicos interinos, mas seus trabalhos não tiveram continuidade.

CBF busca profissional para ser novo coordenador

O presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, ainda está avaliando as possibilidades da estrutura que será feita para o próximo ciclo de Copa do Mundo, que está marcada para o ano de 2026, nos Estados Unidos.

Um dos desejos é contar com um coordenador de seleções. Para o cargo, alguns nomes estão sendo monitorados, como o executivo Rodrigo Caetano, do Atlético-MG, além de Mauro Silva, vice-presidente da Federação Paulista de Futebol.