Dorival Júnior já tem um plano para o segundo São Paulo x Flamengo

Neste domingo (17), o São Paulo largou na frente na decisão da Copa do Brasil, e bateu o Flamengo por 1 a 0, no Maracanã. Em entrevista coletiva pós-jogo, o técnico Dorival Júnior elogiou a equipe adversária, e projetou ainda mais foco para o segundo jogo caso o SPFC queira levar a taça para casa. A volta está marcada para o dia 24, no Morumbi.

“A decisão não está definida, o campeonato não está definido. Conheço o adversário, temos que ter muito cuidado e correr muito mais do que hoje (domingo). É apenas a primeira etapa de um jogo de 180 minutos. Não podemos esquecer quem está do lado de lá, a qualificação desse grupo que eu conheço muito bem. Vamos ter que fazer muito mais”, ressaltou.

O comandante rasgou elogios ao time no geral, mas destacou a atuação de toda a sua comissão técnica, que se preparou muito bem durante a semana para os primeiros 90 minutos da final.

“Nos preparamos muito bem para essa partida. O pessoal da análise de desempenho, nossos auxiliares, eles fizeram um trabalho exemplar. Isso nos deu condições de colocar coisas importantíssimas aos jogadores”, disse o técnico.

Dorival fala sobre escalação do Flamengo e confronto contra o Internacional

Dorival comentou que ele e seus auxiliares previram a escalação inicial do Flamengo, que foi super ofensiva e contou com Gabigol, Pedro e Bruno Henrique, com Everton Ribeiro no banco de reservas.

“Preparamos a equipe com a entrada do Everton num primeiro momento, como também jogando teoricamente num 4-3-3. Mas são apenas números. Gabriel entra muito bem pelo meio, Pedro flutua muito bem, em determinado momento eles fazem quase um losango. Eu esperava um Flamengo nessas duas possibilidades, e foi com ela que nós trabalhamos ao longo da semana”, revelou.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Por fim, Dorival falou sobre as dificuldades do calendário brasileiro, que acaba acumulando uma partida atrás da outra, sem muito tempo de treinamento para outros duelos. Como exemplo, citou a partida contra o Internacional, pelo Campeonato Brasileiro.

“Jogamos um jogo complicadíssimo na quarta-feira com o Inter em Porto Alegre, com três dias de chuva, campo muito pesado. Três dias depois, estamos novamente em campo pra jogar a final da Copa do Brasil. Ficaríamos quase 22 dias sem jogar se não colocássemos o time pra jogar (em Porto Alegre). E, colocando, teria o risco de perder jogador para a decisão”, finalizou.