Dorival Jr pode não convocar mais Neymar para a seleção por este motivo

Depois de ter levantado a Copa do Brasil com o São Paulo, Dorival Júnior aceitou o desafio e se tornou o novo técnico da Seleção Brasileira, que estava sem um comandante fixo desde a saída de Tite após a Copa do Mundo de 2022. Com mais responsabilidades, o novo treinador terá que passar por águas passadas e tomar decisões difíceis.

Ele se reencontrará com Neymar, atleta com quem trabalhou durante os tempos de Santos, ainda no começo da carreira do jogador. Contudo, ambos tiveram uma discussão em 2010, que acabou causando a demissão de Dorival.

Isso porque o treinador não queria que Neymar cobrasse o pênalti. A discussão acabou ficando acalorada e ambos foram batendo boca ao vestiário. Em entrevista ao UOL Esporte, Dorival comentou sobre o episódio.

“No momento em que finaliza uma partida, você fala com o atleta ainda com o sangue quente. Eu abordei o Neymar dessa forma. Então, isso, pra mim, foi um erro. O erro acontecido em campo foi dele, Neymar, e ele sabe disso. O erro dentro do vestiário foi meu. Deveria ter deixado passar”, disse.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Os dois chegaram a conversar de forma mais calma no dia seguinte, mas Dorival queria que Neymar fosse punido em duas partidas, enquanto na visão da diretoria, apenas uma multa bastava. Acabou sendo demitido.

Neymar também relembrou de episódio com Dorival

Assim como Dorival Júnior, Neymar também relembrou o episódio, desta vez em entrevista à TNT Sports. Ele disse que se arrepende do ocorrido e gostaria de ter o poder para mudar algumas atitudes ao longo de sua carreira.

“[Gostaria de ter feito diferente] muitas atitudes. Muitas atitudes que eu tive que, se pudesse voltar atrás, eu faria de uma maneira diferente, conseguiria pensar, raciocinar, ver que não seria correto e voltar atrás. Um exemplo? A briga com o Dorival em 2010. Acho que foi um momento em que eu explodi de uma forma errada, mesmo querendo ajudar a equipe. Se eu pudesse voltar atrás, se fosse em slow motion, acho que eu raciocinaria diferente”, comentou.