Dirigentes do Corinthians devem ser convocados pela polícia

Não é de hoje que a situação do Corinthians não está boa fora dos gramados. O clube é acusado de repassar dinheiro do contrato com a VaideBet, antiga patrocinadora máster, a uma empresa “laranja”. 

Recentemente, Alex Cassundé, que fez parte da intermediação de ambas as partes, disse, em depoimento, que não cobrou nenhum centavo da empresa e que o valor de R$ 25 milhões foi oferecido ao Corinthians.  Ele afirma que as conversas ocorreram sem sua presença. 

Ele ainda citou alguns dirigentes que teriam feito parte de todo o processo da negociação com a casa de apostas, como o diretor administrativo Marcelo Mariano e o ex-superintendente de marketing Sérgio Moura. Segundo o UOL, ambos devem ser chamados para prestar depoimentos nos próximos dias. 

O caso ganhou ainda mais repercussões após Cassundé dizer que a VaideBet foi encontrada através da inteligência artificial do Chat GPT ao procurar “dicas de como encontrar uma empresa de bet”. 

A partir daí, entrou em contato com Sérgio Moura e, posteriormente, Mariano. Segundo o iG Esporte, ele recebeu uma proposta para intermediar o acordo e ganhar uma comissão de 7% sobre o valor fechado.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

“Teve uma fase desse processo que foi necessária a intermediação e (ele) foi chamado para fazer. Mas ele participou de uma parte da busca por esse patrocínio e aí foi chamado para a intermediação. Inicialmente, não teria, mas houve a necessidade de regularizar”, comentou Cláudio Salgado, advogado de Cassundé.