Direção do São Paulo bate o martelo e define demissão de Carpini

A direção do São Paulo acabou batendo o martelo recentemente e tomou uma decisão em relação a possibilidade de demitir Thiago Carpini neste momento. O treinador, apesar do começo meteórico, acabou caindo de produção, fazendo com que comece uma pressão interna e externa em cima de uma chance de desligamento do comandante, o que parece que não vai acontecer no momento.

Todo o trabalho que estava sendo realizado no Tricolor acabou sendo interrompido em uma ligação da Confederação Brasileira de Futebol. Isso porque, no começo deste ano, a entidade decidiu que teria que encontrar um novo técnico para assumir a Seleção Brasileira e, com isso, Dorival Junior foi convocado com a missão de comandar a Canarinha neste ciclo de Copa do Mundo.

Com isso, quem acabou se juntando à comissão técnica do São Paulo foi o destaque da serra gaúcha, Thiago Carpini. Logo em seu começo como treinador do time, um grande sucesso aconteceu, já que foi em suas mãos que o clube se tornou o ‘Super Campeão de Tudo’. Com isso, alguns tricolores já imaginavam que a situação estaria resolvida à essa altura.

São Paulo vai demitir Carpini?

No entanto, parece que a situação envolvendo o técnico em questão não anda tão confortável assim. Isso porque o desempenho da equipe tricolor vem incomodando diversos torcedores da equipe, gerando uma pressão externa que poderia levar à demissão do treinador. O que, ao que tudo indica, não acontecerá neste exato momento.

De acordo com informações do portal Goal, a direção do São Paulo teria decidido não demitir o treinador neste momento, nem mesmo em caso de eliminação na próxima fase do Campeonato Paulista de 2024. Muricy Ramalho, coordenador de futebol do Tricolor, inclusive, seria um dos nomes que não desejaria a demissão de Carpini logo no começo do ano.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

O que pode afetar Carpini?

O principal fator levado em consideração, além de alguns resultados, é o desempenho da equipe em campo. Até mesmo em vitórias nesta temporada, a avaliação é de que o futebol apresentado foi aquém da capacidade do elenco.

Apesar de concordar com Muricy, parte do corpo diretivo acredita que se a evolução não ocorrer até o início do campeonato brasileiro, alternativas já precisam ser cogitadas. O medo da diretoria é de adiar alguma decisão de mudança e comprometer o desempenho em competições como a Libertadores.