Dinheiro brota da terra, equipe oferece fortuna milionária e São Paulo toma decisão sobre venda de dupla titular

Finalista da Copa do Brasil pela primeira vez em 23 anos, o Tricolor deve jogar todas as suas fichas em busca do título inédito. O time contou com uma crescente de jogadores decisivos até alcançar a partida mais importante dos últimos anos.

Parte disso é por conta da política de transferências que o clube adotou nesta temporada. Notoriamente conhecido por fazer bons negócios, o SPFC segurou as pontas, atendeu o pedido de Dorival Júnior e não aceitou vender nenhum atleta até o final desta temporada.

Por sinal, dois titulares receberam propostas concretas antes do fechamento da janela, que foram rapidamente negadas pela diretoria. As mesmas teriam vindo do futebol árabe, que se tornou destaque neste ano após gastar milhões em transferências, afinal, possuem dinheiro do petróleo como principal aliado.

Segundo  informações divulgadas pelo jornalista Jorge Nicola, em seu canal no Youtube nesta quarta-feira (13), o São Paulo recebeu uma oferta de 3 milhões de euros (cerca de R$ 16 milhões atualmente) pelo atacante Luciano. Antes de dizer “não”, o próprio camisa 10 havia expressado seu desejo em permanecer no Morumbi.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Após a recusa, o mesmo clube, que não teve seu nome revelado pelo jornalista, partiu para cima de Wellington Rato, oferecendo 2 milhões de euros (cerca de R$ 11 milhões na cotação atual). Novamente, a diretoria recusou a oferta, alegando que só faria negócio em caso de valores maiores.

Rato e Luciano são destaques no Tricolor

Em meio a uma desconfiança inicial após sua contratação, o meia Wellington Rato vem mostrando o porquê do investimento. Já são cinco gols e oito assistências nesta temporada, se igualando a Luciano como garçom da equipe. É um dos atletas que mais jogou no ano, com 49 duelos.

Luciano continua decisivo, e também acumula bons números na temporada. Em 48 jogos, marcou 10 gols e distribuiu oito assistências. É o líder nos dois quesitos, empatado com Calleri e Rato, respectivamente.