Daniel Alves sofre represálias na Bahia


Preso de maneira preventiva desde janeiro deste ano, após acusação de violência sexual contra uma jovem de 23 anos, em uma boate em Barcelona, no final do ano passado, a situação de Daniel Alves piora conforme o tempo passa.

Nesta quinta-feira (7), a estátua em sua homenagem, que está localizada em Juazeiro, no norte da Bahia, foi vandalizada. 

Vale destacar que o brasileiro nasceu em Juazeiro, e sua estátua foi inaugurada em dezembro de 2020, quando ainda defendia o São Paulo, clube no qual acumulou diversas polêmicas, apesar do título do Campeonato Paulista no ano seguinte.

A obra está no bairro Vaporzinho – Saldanha Marinho, bem no centro da cidade. Os vândalos colocaram um saco plástico na cabeça do monumento do jogador, além de fita adesiva. 

Em sua conta oficial nas redes sociais, o irmão de Daniel, Ney Alves, falou sobre o ocorrido. Ele defendeu o atleta, alegando que o julgamento sequer aconteceu para tomarem qualquer decisão precipitada. 

“Passando somente para lembrar que o meu irmão está aguardando o julgamento e a pergunta é: se ele provar inocência? Se ele for absorvido ? Como faremos? Deus nos abençoe e nos proteja”, escreveu.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

De acordo com informações divulgadas pelo G1 e pela prefeitura de Juazeiro, o próprio povo resolveu tirar o saco plástico e as fitas da estátua. Aproximadamente às 16h30 da quinta, todo o material já havia sido retirado. Nenhum boletim de ocorrência foi registrado, segundo a Polícia Civil, em contato ao G1. 

Daniel Alves deve ser julgado em breve

Daniel Alves ainda aguarda julgamento, que está previsto para acontecer entre o final deste ano e começo de 2024. O jogador teve diversos pedidos de liberdade provisória negados, uma vez que a Justiça da Espanha alegou risco real de fuga ao Brasil.