Daniel Alves será vigiado por 5 anos após sair da prisão

  A Justiça da Espanha decretou Daniel Alves como culpado e o condenou a quatro anos e meio de prisão por estupro, nesta quinta-feira (22). A sentença foi assinada pela juíza Isabel Delgado Pérez, da 21ª Seção da Audiência de Barcelona. 

O brasileiro estava sendo acusado de estupro contra uma mulher de 23 anos. O crime ocorreu ainda no final de dezembro de 2022, na boate Sutton, em Barcelona. Ele cumpre prisão preventiva desde o dia 20 de janeiro do ano passado.

Vale destacar que a defesa da vítima pediu uma pena de 12 anos para o brasileiro, ou seja, a máxima permitida de acordo com as leis do país. Por outro lado, o Ministério Público solicitou que ele ficasse preso por nove anos.

Além da pena de quatro anos e meio, Daniel Alves terá que pagar uma multa de  150 mil euros (cerca de R$ 805 mil na cotação atual) como indenização por danos morais e físicos.

Por fim, ele também terá que cumprir cinco anos em liberdade vigiada após cumprir pena na cadeia. Ou seja, ele não poderá ter qualquer contato com a vítima em um raio de um quilômetro, seja em qualquer local, como trabalho ou sua casa. Também não pode entrar em contato de nenhuma maneira com a mesma.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Confira um trecho do veredito da Justiça

A Justiça Espanhola analisou e julgou o caso de agressão sexual, condenando o brasileiro. Segundo a autoridade, existem provas que podem comprovar o ato sem o consentimento da vítima.

“Ficou provado que a mulher não consentiu e que existem elementos de prova, além do testemunho da denunciante, para entender comprovada a violação” Ele teria agarrado “ abruptamente a denunciante, a jogou no chão e, a impedindo de se mexer, a penetrou pela vagina, apesar de a denunciante ter dito que não, que queria ir embora”, diz a Justiça.