Daniel Alves pode acabar sendo liberado e ainda recebendo R$ 1 milhão

Preso desde o início do ano passado, Daniel Alves foi julgado na última semana. Ele é acusado de ter estuprado uma mulher de 23 anos em uma boate na Espanha, ainda no final de 2022. 

Os advogados do atleta alegam que ele estava embriagado, após a prática sexual ter sido comprovada pelas autoridades e médicos. Caso ele seja absolvido e inocentado, terá direito a cerca de R$ 1 milhão.

Em agosto, Daniel enviou o valor de 150 mil euros (cerca de R$ 800 mil na cotação atual) para a Justiça da Espanha, como forma de indenização. Caso de fato ele for condenado, o montante é enviado pela vítima. Por outro lado, o valor será devolvido se as autoridades o julgarem como inocente. 

A defesa do atleta foi concisa durante o julgamento, apesar das provas colhidas pelas autoridades de Barcelona. Após exames realizados na vítima, foi constatado sêmen do brasileiro na mesma. 

Defesa de Daniel Alves visa fator atenuante

Com o surgimento de novas provas, Daniel mudou sua versão do ocorrido ao menos cinco vezes Agora, ele trabalha com a história de que estava embriagado, já que o ato de estar sob o afeto de bebidas alcoólicas pode ser um atenuante na sentença, caso condenado. 

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Vale destacar que a defesa da vítima pede 12 anos de prisão do brasileiro, pena máxima prevista pela Justiça da Espanha. Por outro lado, o Ministério Público solicitou nove anos de cadeia. 

Os advogados do brasileiro estão trabalhando com o 21.2 do Código Penal espanhol, que caso aceito, o brasileiro será enquadrado em  “grave vício em bebidas alcoólicas, drogas ou outras substâncias que produzam efeitos análogos”. Caso culpado e sentenciado à pena máxima (12 anos), o atenuante pode garantir uma redução da pena em até três anos.