Daniel Alves foi ameaçado por presos em cadeia na Espanha

Um dos atletas mais vitoriosos da história do futebol mundial, o agora ex-lateral Daniel Alves viu sua vida virar de cabeça para baixo em janeiro do ano passado. Acusado de agressão sexual a uma jovem de 23 anos em uma boate de luxo em Barcelona, o brasileiro foi detido de forma preventiva pela Justiça Espanhola.

Completando 13 meses de prisão no último dia 20, o ex-São Paulo enfim conheceu o veredito por parte das autoridades do país europeu. Considerado culpado, Daniel Alves foi condenado a quatro anos e meio em regime fechado, além de mais cinco anos de “liberdade vigiada” após o cumprimento da pena na prisão.

Ainda não existem informações se o ex-lateral de Barcelona, Sevilla, Juventus, Paris Saint-Germain e Seleção Brasileira, permanecerá ou não no Centro Penitenciário de Brians II, localizado nos arredores da cidade espanhola. O certo é que, por lá, Daniel Alves já viveu os dois lados da moeda, sendo amado por uns e odiado por outros.

Em agosto de 2023, por exemplo, o programa ‘Fiesta’, do canal espanhol Telecinco, noticiou que um dos detentos confidenciou que Daniel Alves convivia com a hostilidade de alguns companheiros de cela. Boa parte deles se referia ao brasileiro como “estuprador”. Em diversos momentos, ele chegou a ser intimidado na prisão.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Qual foi a sentença do caso Daniel Alves?

A juíza Isabel Delgado Pérez impôs as seguintes penas:

  • Quatro anos e seis meses de prisão;
  • Cinco anos de liberdade vigiada, após o cumprimento da pena na prisão;
  • Distância de pelo menos um quilômetro da casa ou do local de trabalho da vítima e não entrar em contato com ela, durante nove anos e seis meses;
  • Desqualificação especial para o exercício de emprego, cargo público, profissão ou ofício relacionados com menores de idade durante cinco anos, após o cumprimento da pena na prisão;
  • Indenização de 150 mil euros (R$ 804 mil) por danos morais e físicos;
  • Dois meses de multa com taxa diária de 150 euros (R$ 804), com a responsabilidade pessoal subsidiária em caso de não pagamento do artigo 53 do Código Penal Espanhol por um delito leve de lesões – significa estar sujeito a um dia de privação de liberdade para cada duas cotas não pagas, podendo ser revertido em trabalho comunitário;
  • Arcar com as custas do processo.

Por fim, se curtiu a matéria não deixe de acessar com frequência o Portal do São Paulino.