Daniel Alves fez duas exigências para assinar com time brasileiro

Setembro de 2021: após ser contratado pelo São Paulo como grande contratação do clube na temporada de 2019, o lateral-direito Daniel Alves se tornava ‘persona non grata’ no Morumbi. Cobrando valores em aberto da diretoria, o jogador deixaria o clube pela porta dos fundos depois de um acordo para sua rescisão contratual.

Fora do Tricolor, Daniel permaneceu alguns meses à disposição do mercado de transferências e chegou a ensaiar acordos com outros clubes do futebol brasileiro. Athletico-PR e Fluminense chegaram a apresentar propostas para o lateral, que acertaria seu retorno ao Barcelona, onde é ídolo, em janeiro de 2022.

Porém, antes de voltar ao clube espanhol, Daniel Alves revelou, em entrevista ao Flow Sport Club, que teve conversas avançadas para defender o Internacional. O jogador garantiu que recebeu uma proposta e que o acordo só não foi para frente por conta de duas exigências: atuar na lateral-direita e uma cláusula de liberação facilitada para a Europa.

“Tive proposta do Inter sim. Agradecei a todos eles, mas eu estava em um momento de conexão comigo mesmo. Eles viram que eu estava livre no mercado e me sondaram. Tive várias sondagens, mas não assinar com nenhum clube foi por opção”, disse Daniel à época.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

A opção por negar propostas para retornar ao Barcelona não saiu como o esperado. Após apenas seis meses, ele não teve seu contrato renovado e foi parar no Pumas, do México. Mesmo assim, acabou convocado por Tite para a Copa do Mundo do Catar. Em janeiro deste ano, Daniel terminou preso na Espanha acusado de agressão sexual.

Por fim, se curtiu a matéria não deixe de acessar com frequência o Portal do São Paulino.