Daniel Alves escolheu sua nova profissão após deixar a prisão

Persona non grata dentro do São Paulo após sua polêmica passagem pelo clube entre 2019 e 2021, o ex-lateral Daniel Alves, hoje com 40 anos, vive maus bocados na Espanha. Acusado de agressão sexual a uma jovem de 23 anos, o brasileiro enfim passou por julgamento no país europeu no último mês e conheceu sua sentença.

Considerado culpado, Daniel Alves foi condenado a quatros anos e meio em regime fechado, além de mais cinco anos de “liberdade vigiada” após o cumprimento da pena na prisão. Sua defesa promete recorrer da decisão. Caso não seja liberado antes do tempo previsto, o ex-lateral passará mais três anos e meio preso na Espanha.

Já sonhando com os dias em que será novamente um homem livre, Daniel já deu indícios no passado sobre qual profissão poderia seguir depois de largar o futebol: a de DJ. Em entrevista ao programa The Noite, do SBT, o ex-São Paulo revelou ao apresentador Danilo Gentili o desejo de se aventurar no mundo da música.

“Eu gostaria. Pelo o que eu vejo, a música não tem vaia. Dificilmente vai tá rolando uma música ali e vão estar vaiando”, disse Daniel. Em outras oportunidades, o jogador já demonstrou seu “talento” fora das quatro linhas, chegando a lançar uma canção em 2020.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Qual foi a sentença do caso Daniel Alves?

A juíza Isabel Delgado Pérez impôs as seguintes penas:

  • Quatro anos e seis meses de prisão;
  • Cinco anos de liberdade vigiada, após o cumprimento da pena na prisão;
  • Distância de pelo menos um quilômetro da casa ou do local de trabalho da vítima e não entrar em contato com ela, durante nove anos e seis meses;
  • Desqualificação especial para o exercício de emprego, cargo público, profissão ou ofício relacionados com menores de idade durante cinco anos, após o cumprimento da pena na prisão;
  • Indenização de 150 mil euros (R$ 804 mil) por danos morais e físicos;
  • Dois meses de multa com taxa diária de 150 euros (R$ 804), com a responsabilidade pessoal subsidiária em caso de não pagamento do artigo 53 do Código Penal Espanhol por um delito leve de lesões – significa estar sujeito a um dia de privação de liberdade para cada duas cotas não pagas, podendo ser revertido em trabalho comunitário;
  • Arcar com as custas do processo.

Por fim, se curtiu a matéria não deixe de acessar com frequência o Portal do São Paulino.