Daniel Alves encontra documento escondido para sair da prisão

Daniel Alves mudou novamente sua versão do que teria ocorrido na noite do suposto estupro que teria cometido contra uma jovem de 23 anos, em uma boate em Barcelona. O brasileiro alega que estava embriagado, e segundo o jornal local El Periódico, a ideia é mostrar que ele estava realizando algo sob efeito do álcool. Inclusive, o recibo da boate será usado por sua defesa.

Ao “colocar a culpa na bebida”, Daniel mostrará que não estava 100%, e que não tinha plena noção do que estava fazendo. Caso de fato seja comprovado, sua pena pode ser atenuada.

Para comprovar a nova versão, seus representantes irão mostrar os recibos de pagamento da boate naquela noite. Além disso, sua ex-mulher, Joana Sanz, deve ser chamada para contar da relação do atleta com as bebidas alcoólicas, dizendo se ele chegou bêbado em casa após o ocorrido. Vale destacar que o recibo fiscal é um documento que comprove o pagamento de uma dívida, e é gerado de forma instantânea no local. 

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Segundo o jornal O Globo, a defesa de Daniel Alves deve pedir uma nova absolvição por considerá-lo inocente. A ideia é, em caso de fracasso, conseguir a menor pena possível caso ele seja condenado. Seu julgamento está marcado para o dia 5 de fevereiro.

Na Espanha, por exemplo, o consumo de álcool pode ser um atenuante em diversos casos, como por exemplo, uma infração no trânsito. O jornal La Razon explicou um pouco mais sobre como funciona a lei no país.

“A atual regulamentação do Código Penal contempla como desculpa a intoxicação plena pelo consumo de bebidas alcoólicas (…) desde que impeça o sujeito de compreender a ilegalidade do ato ou atuar de acordo com esse entendimento, exigindo também como requisitos que tal estado [de embriaguez] não tenha sido provocado para a finalidade da prática da infração penal e que a sua prática não tenha sido ou devesse ter sido prevista”, escreveu.