Daniel Alves agora trabalha limpando banheiros

PARIS, FRANCE - APRIL 27: Dani Alves of Paris Saint-Germain looks on after loosing the French Cup Final match against Stade Rennais at Stade de France on April 27, 2019 in Paris, France. (Photo by Aurelien Meunier - PSG/PSG via Getty Images)

Acusado de agressão sexual a uma jovem de 23 anos em uma boate de luxo em Barcelona, na Espanha, o ex-lateral Daniel Alves comprou 13 meses de prisão nesta semana e agora vive a expectativa para enfim conhecer seu veredito. Sem direito a liberdade condicional, o ex-São Paulo passou por julgamento entre 5 e 7 de fevereiro.

Enquando ainda aguarda a decisão da Justiça espanhola, Daniel Alves continua sendo assunto dentro da imprensa do país. Nesta quarta-feira, dia 21, foi a vez do canal de TV “Telecinco” dar maiores detalhes de como é o dia a dia do brasileiro no Centro Penitenciários de Brians II, localizado nos arredores de Barcelona.

Segundo um detento que está no mesmo presídio, Daniel tenta ocupar a mente realizando atividades de limpeza: “Ele limpa as janelas, as mesas do refeitório, está varrendo, esfregando os banheiros dos módulos. Ele mesmo pediu isso”. Dias antes do julgamento, outro preso também já havia dado detalhes sobre a estadia do brasileiro na prisão.

Em conversa com a jornalista Susanna Griso, do programa Espejo Público, ele revelou que, após um longo período tentando se adaptar a cadeia, Daniel Alves mudou o seu comportamento e é querido pelos colegas.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Juíza convocou Daniel Alves para o Tribunal

Podendo pegar até 12 anos de prisão no país europeu, o ex-São Paulo passou por julgamento entre os dias 5 e 7 deste mês e vive a expectativa pela sentença da juíza Isabel Delgado Pérez. O caso, inclusive, ganhará novidades nesta quinta-feira (22), com a magistrada convocando as partes envolvidos a comparecer ao Tribunal da cidade.

Além de Daniel Alves, a juíza chamou Inés Guardiola, advogada do brasileiro, Ester García, advogada da denunciante e a promotora Elisabeth Jiménez. A defesa do jogador pediu a absolvição e, em caso de condenação, que fossem aplicados atenuantes como intoxicação alcoólica e violação do direito fundamental do acusado.

Por fim, se curtiu a matéria não deixe de acessar com frequência o Portal do São Paulino.