Daniel Alves abre processo de R$ 137 milhões

Próximo de completar 11 meses de prisão na Espanha após ser acusado de agressão sexual a uma jovem de 23 anos na cidade de Barcelona, o lateral-direito Daniel Alves continua colecionando polêmicas em sua vida pessoal. Desta vez sobrou até mesmo para um antigo amigo que teria se recusado a devolver bens do atleta.

Dono de passagem polêmica pelo São Paulo entre 2019 e 2021, Daniel Alves teria deixado uma série de bens estimados em R$ 137,2 milhões com um amigo pessoal após sua mudança para o México em 2022, quando foi defender o Pumas. Entre os objetos requeridos estão uma Land Rover, quadros famosos, instrumentos musicais e joias.

Quando foi detido pela justiça da Espanha em 20 de janeiro deste ano, o ex-jogador do São Paulo alegou “dificuldades financeiras” com a perda de contratos milionários e pediu então a devolução dos bens, mas o amigo em questão teria se mantido “inerte”, segundo o processo. Desde então, o caso corre na Justiça de São Paulo.

A defesa de Daniel Alves, composta pelos advogados Márcio Crociati e Maurício Junior Hora, alega que o réu teria se apossado dos objetos do jogador “torcendo para que não saia da atual situação em que se encontra hoje, encarcerado em outro país”. Segundo o portal Terra, o réu ainda não foi notificado oficialmente pelo sistema judicial.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Por fim, se curtiu a matéria não deixe de acessar com frequência o Portal do São Paulino.