CBF não parou em Dorival e tentou atrapalhar o São Paulo de novo

Ainda no começo da pré-temporada, o São Paulo sofreu um baque gigantesco ao perder Dorival Júnior. O técnico aceitou o convite do presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, e assumiu o comando da Seleção Brasileira. Como substituto, o clube anunciou Thiago Carpini, ex-Juventude.

Além de Dorival, a entidade brasileira tentou a contratação de outro nome importante do Tricolor: Muricy Ramalho. De acordo com informações divulgadas pelo Globo Esporte, ele recebeu o convite da CBF para assumir um cargo parecido no Brasil, mas recusou a oferta para permanecer no SPFC. Por sinal, sua contratação foi um pedido de Dorival. 

Ambos possuem uma relação que vai além do São Paulo. Muricy lançou Dorival como treinador do Figueirense ainda no começo do século. Voltaram a trabalhar juntos no Tricolor no ano passado, alcançando um resultado positivo e levantando o título da Copa do Brasil.

“As coisas que as pessoas mais me perguntam é se eu me arrependi de não ser técnico da Seleção (ele foi convidado em 2010, quando estava no Fluminense). Eu falo que não. Eu sou um cara que se é aquilo, é aquilo. Agora eu fui convidado de novo. O Dorival me convidou de novo. Eu falei: “Dorival, você vai me desculpar, cara, mas já perdemos você. E eu vou sair também? Isso pro São Paulo vai ser um desastre. Eu estando aqui vou manter o que você deixou pra gente. Vou te representar aqui”, disse Muricy, em entrevista ao ge.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Muricy demonstra lealdade ao SPFC e diz não a CBF, que procura um novo coordenador

Na função de coordenador, Muricy Ramalho conquistou a Copa do Brasil, no ano passado, além do Campeonato Paulista de 2021, título que deu fim ao longo período sem taças (quase nove anos) para o clube.

“Seria para ser coordenador, ajudar de perto no dia a dia. O grande problema é que eu sou radical na palavra. Se eu falar pra você que hoje a gente vai conversar, hoje a gente vai conversar. Pode ser o papa falando que eu não vou, mas eu vou conversar sim. É a minha palavra. É a minha vida, eu fui criado assim com o meu pai. O que eu assino eu tenho que cumprir”, complementou Muricy.

A CBF ainda está à procura de um novo profissional para se tornar o novo coordenador da entidade. Alguns nomes estão no radar, como Rodrigo Caetano, que atualmente trabalha no Atlético-MG.