CBF bate o pé e não quer dar mais R$ 3 milhões ao São Paulo por Dorival Jr

Ainda no começo da pré-temporada, o São Paulo sofreu um duro golpe ao perder Dorival Júnior para a Seleção Brasileira. O treinador era peça fundamental no clube, e foi um dos principais responsáveis pelo título inédito da Copa do Brasil do ano passado. 

Por tirá-lo do Tricolor em meio a um contrato vigente, a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) teria que pagar a multa rescisória do treinador. Segundo a jornalista Mônica Bergamo, da Folha de São Paulo, o valor está sendo discutido entre as partes.

A CBF se dispôs a desembolsar o valor da multa de Dorival, contudo, não concorda com as contas do SPFC. O clube alega que a entidade deve pagar R$ 8,5 milhões no total, dividido entre: R$ 4,5 milhões em multa, R$ 3 milhões em um tipo de indenização, além de R$ 1 milhão, mesma quantia que foi paga ao Juventude para contratar o técnico Thiago Carpini.

Segundo informações divulgadas por Mônica Bergamo, em contato com personalidades ligadas ao negócio, a CBF só aceitou pagar R$ 5,5 milhões, que é referente a multa e a contratação de Carpini, apontado como substituto de Dorival Jr.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

As tratativas devem continuar por mais um tempo. Por outro lado, o presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, não quer desgastar sua relação com o clube e nem com o presidente Julio Casares. A história ainda deve se desenrolar por mais tempo até que o pagamento seja feito. Dorival deixou o São Paulo no dia 7 de janeiro, enquanto Thiago Carpini foi anunciado no dia 11 do mesmo mês.