Casares é tremendamente sincero sobre a saída de James do São Paulo

James Rodríguez foi contratado pelo São Paulo no final de julho do ano passado. Havia muita expectativa da torcida em cima de sua chegada, já que acumula passagens por grandes clubes da Europa como Real Madrid, Bayern de Munique e Porto. Além disso, sempre foi a principal estrela da seleção colombiana.

Contudo, mesmo com três técnicos diferentes neste período, o meia não conseguiu jogar e ter sequência. Embora tivesse sofrido com alguns problemas físicos, a grande maioria das vezes acabou não jogando por opção técnica, seja com Dorival Júnior, Thiago Carpini ou Luis Zubeldía.

Por sinal, o último deles sequer o relacionou para as últimas partidas, contra o Vitória, pelo Campeonato Brasileiro, e Cobresal, pela Libertadores. Muitos apontam que uma saída está próxima de acontecer, seja por rescisão entre ambas as partes ou até mesmo uma venda na abertura da janela de transferências. 

Em entrevista concedida nesta quinta-feira (9), no Morumbis, o presidente Julio Casares foi questionado sobre a situação atual de James. Além de comentar sobre a situação do Rio Grande do Sul, o mandatário agradeceu o colombiano pelos serviços prestados, mas deixou a decisão para a comissão técnica.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

“Ele não está sendo escalado, mas já ajudou o São Paulo. A vinda do James colocou o São Paulo em competitividade esportiva. Veio o Lucas junto. Então, o São Paulo passou a ser protagonistas de grandes contratações. O jogador às vezes não se adequa dentro de campo por uma questão física ou de treino. Se o James estiver no caminho de saída, será natural como foi na chegada”, iniciou Casares.

Casares deixa futuro de James nas mãos de Zubeldía

Segundo informações divulgadas pelo jornalista Jorge Nicola, o próprio SPFC já decidiu que irá seguir caminhos diferentes com o colombiano. Além de não estar sendo utilizado, custa cerca de R$ 1,5 milhão por mês.

“Eu me lembro em 1985, o Falcão veio para o São Paulo e ele não assumiu a titularidade. O Márcio Araújo foi o titular na decisão. Essa questão técnica é o técnico que escala. Agora, ele cumpriu um papel importante e poderá cumprir. É uma questão de análise e que nos deixamos para o técnico e comissão técnica da equipe”, finalizou Casares.