Carpini agiu rápido e garantiu contrato de Carlos Vinícius

Contratado para substituir nada mais nada menos do que Dorival Júnior, o jovem técnico Thiago Carpini, de apenas 39 anos, vem dando o que falar. Por enquanto, ele está invicto no comando do Tricolor: três vitórias e um empate, incluindo um triunfo em cima do Corinthians, quebrando o tabu na Neo Química Arena.

Depois de assumir o comando do Tricolor, Carpini se reuniu com Wellington Rato, seu velho conhecido. Ambos atuaram juntos na Caldense, última equipe profissional de Carpini como atleta. Em 2017, o próprio deu uma assistência para o atual jogador do SPFC em um duelo contra o Cruzeiro, pelo Campeonato Mineiro. Outro fato curioso é que o goleiro era justamente Rafael, titular do Tricolor.

Carpini jogou pelo time de Poços de Caldas após um convite do amigo Thiago Oliveira, que atualmente é técnico do Bandeirante-SP. Por sinal, Oliveira é formado nas categorias de base, e chegou a jogar a Copa do Mundo Sub-20 em 2001 pela Seleção Brasileira.

“Eu já tinha encerrado a minha carreira no Guarani, fui mais por um pedido de um amigo, Thiago Oliveira, que foi formado no São Paulo e que assumiu a Caldense como treinador. Falei: ‘Thiago, não aguento mais, acabei de fazer uma cirurgia’. E ele: ‘Não, me ajuda’”, lembrou.

Como Carpini “salvou” a carreira de dois jogadores de alto nível

Na Caldense, Thiago Carpini já demonstrava um bom faro para ser treinador. Ele evitou que dois atletas fossem dispensados do clube: Wellington Rato, atual meia titular do São Paulo e líder de assistências (três), e Carlos Vinicius, de 28 anos, que atua no Fulham, da Inglaterra.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

“Os dois iriam ser dispensados e eu falei: ‘Thiago, tá louco? Calma!’ E aí comecei uma proximidade com o Rato, neste momento acho que ajudei um pouquinho ele a colocar umas ideias em ordem, e o Carlinhos era um lateral-esquerdo mediano que hoje joga uma Premier League. É gratificante, são coisas que fazem valer a pena o futebol e a vida. Quando cheguei no São Paulo, o Carlos mandou uma mensagem: ‘Cuida do Ratinho aí viu?’, disse.

Após passagem pela Caldense, Rato jogou no Sampaio Corrêa, Joinville, Ferroviário-CE, Atlético-GO e Nagasaki, do Japão. Foi contratado pelo São Paulo em 2023, e somou 64 partidas, cinco gols e nove assistências, sendo o líder em passes para gol na temporada.

Por outro lado, Carlos Vinícius se tornou um ótimo centroavante. Depois de rodar por Grêmio de Anápolis, foi para a Europa e defendeu alguns clubes portugueses, incluindo o Benfica,   Napoli, da Itália, Monaco, da França, Tottenham, da Inglaterra, e PSV, da Holanda, até chegar no Fulham.