Andrés Sanchez quer tirar revelação do São Paulo da Seleção Brasileira

Atualmente longe da direção do Corinthians, Andrés Sanchez, ex-coordenador de seleções da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), comentou sobre seu futuro na entidade. Atualmente, seu antigo cargo está vago desde a saída de Juninho Paulista, em janeiro deste ano, logo após o Mundial do Catar.

Em entrevista ao “Canal do Benja”, no YouTube, o dirigente garantiu que não recebeu nenhum convite de Ednaldo Rodrigues, atual presidente da CBF, e também afirmou que não irá se oferecer para o cargo novamente.

“Ele [Ednaldo Rodrigues] não me convidou, nem eu me convidei. Ele perguntou o que eu achava e eu falei. Falo com ele de vez em quando, mas não me convidou. Não tinha compromisso nenhum comigo”, disse Andrés.

Perguntado por Benjamin Back sobre quais atitudes ele teria caso estivesse à frente da Seleção Brasileira, Andrés garantiu que faria uma renovação na equipe. A ideia é contar com jogadores mais jovens e prepará-los para o ciclo da próxima Copa do Mundo, em 2026. Segundo ele, alguns nomes mais veteranos não vestiriam mais a camisa do Brasil, como Casemiro, revelado pelo São Paulo, Neymar e Marquinhos. 

“Acho que nós não temos mais o melhor time do mundo. Pelo contrário, hoje estamos na 5ª, 6ª ou 7ª força do mundo. E nós, brasileiros, não temos coragem para admitir isso. Sempre falei ao presidente (da CBF): temos que montar um time competitivo. Neymar, Casemiro, Marquinhos: não vem para a seleção, não precisamos deles agora. Vamos montar um time competitivo, com garotos até 23 anos, que lá em 2026 vão estar com 26, 27 anos”,  comentou. 

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Para Andrés Sanchez, Brasil se classificaria para o Mundial até com time juvenil

Andrès também salientou que caso esses nomes estejam jogando bem na época que antecede o Mundial, o treinador poderá convocá-los. Todavia, não existe a necessidade de contar com eles nas Eliminatórias, já que “se [o Brasil]  jogar com o juvenil, classifica”.

“Se lá em 2026 o Neymar, o Casemiro, o Marquinhos, o Alisson e outros estiverem bem, a gente traz para a Copa. Você acha que precisa disputar as eliminatórias? Se jogar com juvenil, vai classificar”, ironizou. “Então, vamos montar um time, uma equipe para competir com os europeus. Enquanto não reconhecermos isso, vamos continuar caindo para eles nas quartas de final”, finalizou.

Andrés Sanchez foi diretor de seleções da CBF até novembro de 2012. Foi eleito deputado federal por São Paulo em 2014, e eleito presidente do Corinthians novamente em 2018.