Abel Ferreira chuta o balde e não se cala sobre processo

Nesta quinta-feira (23), o técnico Abel Ferreira falou pela primeira vez sobre o processo movido pelo Al-Sadd, do Catar. O clube do Oriente Médio alega que o treinador havia assinado um pré-contrato no final do ano passado mas acabou não cumprindo sua palavra e ficando no Palmeiras.

“Vou fazer uma breve explicação sobre o assunto, esperei até o dia de hoje, porque gosto de falar com vocês olhos nos olhos. Gostaria de dizer o seguinte: minha carreira de treinador é um livro aberto, começou em 2012. Um livro com capítulos de glória, alguns de tristeza e frustração e tem seguramente duas ou três páginas que eu rasgaria, mas infelizmente acho que um livro é genuíno quando todos os ingredientes estão lá dentro”, iniciou.

O Al-Sadd diz que iniciou a negociar com o português em outubro do ano passado, e que as conversas teriam chegado a um fim positivo em 15 de novembro. O técnico teria assinado o pré-acordo aceitando assumir o time a partir do dia 27 de dezembro, algo que, como todos sabem, não aconteceu.

“Gostaria de acrescentar mais ainda, inclusive ano passado, em outubro, novembro e dezembro, que sou dono da minha alma e capitão do meu destino. E quis o capitão do meu destino que eu chegasse no Palmeiras em 2020. E de 2020 até o dia de hoje, eu quero dizer bem alto, para aqueles que não ouviram e se verem as últimas conferências do ano passado, não vou alterar uma vírgula do que disse há seis, sete meses”, continuou.

Segundo informações divulgadas na época pelo jornal catalão Sport, Abel estaria negociando com o Al-Sadd. Por sinal, as conversas estariam bem avançadas para que ele se tornasse o técnico de futebol com o maior salário de todo o mundo. Em meio a toda a tempestade de rumores, Abel disse que não falará mais sobre o assunto.

“Sou treinador do Palmeiras e estou treinador do Palmeiras. É bom, um orgulho, e o capitão do meu destino me trouxe ao chiqueiro e ao Palmeiras. Ganhamos, já ganhamos neste ano, e se Deus quiser vamos continuar ganhando com o trabalho de todos no CT. Estou onde quero estar e onde querem que eu esteja. Não vou falar mais sobre este assunto, há seis ou sete meses foram três ou quatro meses batendo na mesma tecla e hoje continuo aqui e se tudo correr normalmente até 2025, que é o contrato que eu tenho”, comentou.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Abel foi questionado pela última vez se, de fato, havia assinado o pré-contrato. O português não quis responder e voltou a dizer que não tocará no assunto. De acordo com informações divulgadas pelo Globo Esporte, o Palmeiras não tinha qualquer conhecimento das conversas entre o treinador e o clube do Catar em 2023. 

“Esta é a única verdade, sobre este assunto não falo mais. Sou com muito orgulho – e falo aos meus torcedores, muito obrigado de coração, já disse que sou mais coração do que cabeça – obrigado pelo apoio. Vou falar em português bem claro, não falo mais sobre isso. Vamos ver, não falo mais sobre o assunto. Só há uma verdade, vocês têm que escolher o que querem dizer. Só há uma verdade e uma certeza. Só isso”, finalizou.