6 técnicos abandonaram o São Paulo para assinar com seleção

Ainda no último domingo (7), o técnico Dorival Júnior anunciou sua saída do São Paulo para comandar a Seleção Brasileira. De volta ao cargo de presidente da CBF, a primeira atitude de Ednaldo Rodrigues foi demitir Fernando Diniz para contratar o então comandante do Tricolor. Como esperado, a mudança não caiu bem no São Paulo, que montou o elenco conforme as preferências de Dorival. 

Agora, ele terá a missão de tirar a Seleção Brasileira de uma situação para lá de incômoda, já que o time ocupa a sexta colocação na tabela das Eliminatórias para a Copa do Mundo, com 7 pontos em seis partidas. Ele estará à frente do Brasil na Copa América, que será realizada no meio do ano.

Dito isso, ele não foi o primeiro técnico a sair do SPFC rumo a uma seleção. Longe disso. De acordo com pesquisa realizada por Alexandre Giesbrecht, do Anotações Tricolores, outros cinco nomes tiveram caminhos parecidos ao de Dorival Júnior.

Vicente Feola

O primeiro deles foi Vicente Feola, que levantou o Paulistão em duas oportunidades e detém o recorde de jogos à frente do Tricolor, com 562. Ele levantou a Copa do Mundo de 1958 pela Seleção Brasileira, apesar de que naquele momento, ele não estava mais na função de treinador do Tricolor, e sim como supervisor de futebol.

Aymoré Moreira

Em 1962, foi a vez de Aymoré Moreira aceitar o convite da Seleção Brasileira e fazer história na Amarelinha. No caso, venceu a Copa do Mundo de 1962. 

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Rubens Minelli

Nome histórico do São Paulo, Rubens Minelli foi outro que saiu do clube rumo a uma seleção. Campeão brasileiro com o Tricolor em 1977, foi o primeiro comandante a assumir um país estrangeiros, no caso, a Arábia Saudita.

Juan Carlos Osório

O próximo da lista é um nome recente na história do SPFC: Juan Carlos Osório. O colombiano dirigiu o Tricolor em 2015, mas saiu no mesmo ano ao ser convidado para dirigir o  México. Ele não hesitou em aceitar, já que era seu sonho disputar uma Copa do Mundo como treinador. Acabou sendo eliminado para o Brasil nas oitavas de final do Mundial de 2018, realizado na Rússia.

Edgardo Bauza

Um ano depois de Osório, o São Paulo novamente passou pela mesma situação. Semifinalista da Libertadores da América de 2016, Edgardo Bauza aceitou o convite da Argentina. Contudo, o “Patón” comandou a seleção de seu país natal por apenas oito partidas.